ALTO MINHO

CÁVADO

AVE

PORTO

ALTO TÂMEGA

TÂMEGA E SOUSA

DOURO

TERRAS DE TRÁS-OS-MONTES

NORTE

Representando a região mais populosa do país, a região do Norte apresenta uma forte densidade industrial, sendo considerada como uma das regiões europeias mais industrializadas. Desde o calçado ao setor têxtil, passando pelo vestuário e mobiliário, a região Norte tem-se assumido gradualmente, também, como um novo ponto de atração para pequenas e médias empresas. Em termos de turismo, a Área Metropolitana do Porto tem registado um aumento exponencial no número de turistas, especialmente desde que a cidade do Porto foi eleita “European Best Destination” em 2014.

 

Exemplos de iniciativas e projetos apoiados pela Europa

 

  • O túnel da autoestrada do Marão, concluída em 2015, liga o Porto a Bragança e, adicionalmente, a Espanha, permitindo uma maior e mais rápida circulação de bens, serviços e pessoas, contribuindo igualmente atenuar as desigualdades em termos de PIB entre as diferentes regiões envolventes. Financiado em cerca de 90 milhões de euros pelos fundos europeus, o túnel garante uma maior densidade em termos de conexões rodoviárias no Norte do país.

 

  • O Centro Materno-Infantil do Norte, comparticipado em cerca de 30 milhões pelo fundo de desenvolvimento regional europeu, garante a prestação de cuidados de saúde a crianças até aos 18 anos e a mulheres que necessitem de cuidados materno-obstétricos e de ginecologia. Servindo a população do Grande Porto e de toda a região Norte, o CMIN congrega vários edifícios que garantem, também, a prestação de serviços sociais.

 

  • A instalação de redes de banda larga nas zonas rurais do Norte serve 44 concelhos e mais de 800 zonas rurais, colmatando assim as assimetrias regionais em termos de economia digital e garantindo que as pequenas e médias empresas, tecido dominante na região, fortalecem a sua presença tanto nacional como internacional.

ALTO MINHO

A constituição municipal do Alto Minho demarca-se pela sua típica gastronomia e produção de vinho verde, destacado tanto nacional como internacionalmente. Servido por várias infraestruturas logísticas como o Porto de Vigo e o aeroporto do Porto, o Alto Minho tem registado um aumento significativo no número de dormidas desde 2013, chegando a atingir quase as 500 000 dormidas por ano, em 2015. Conhecido pela sua conjugação mar-rios-serra, o Alto Minho apresenta-se como um espaço de articulação entre Portugal e Espanha, estando assim ligado por diversas autoestradas como a autoestrada do Litoral Norte.

Exemplos de iniciativas e projetos apoiados pela Europa

 

  • Requalificação das ruas do centro histórico de Arcozelo: financiado em cerca de 85% pelos fundos europeus, o projeto tem em vista a dinamização socioeconómica do centro histórico. A reabilitação urbana levada a cabo no centro garante que, tanto as lojas, como os restaurantes típicos, sejam acessíveis não só pelos habitantes como pelos turistas.

 

 

  • E-GOV ALTO MINHO 2020: tendo como objetivo a modernização dos serviços públicos do Alto Minho, esta iniciativa abrange tanto cidadãos como empresas da região, e facilita o acesso às tecnologias de informação. Atingindo um financiamento da União Europeia de cerca de 85%, a plataforma procura facilitar a promoção territorial e facilitar serviços como saneamento, transportes e abastecimento.

CÁVADO

A área do Cávado, rica tanto em tecido industrial como universitário, apresenta um elevado dinamismo quer económico, quer social. Braga, representando a capital de distrito mais jovem do país, é sede da Universidade do Minho e da Bosch Car Multimedia Portugal, por exemplo. A cidade é, também, uma das áreas do país mais barata para comprar casa. O Cávado, representando uma região por excelência para o turismo gastronómico e rural, vivencia, também, um crescimento significativo de unidades hoteleiras.

 

Exemplos de iniciativas e projetos apoiados pela Europa

 

  • Ecovia do Cávado e Homem – abrangendo cerca de 6 concelhos, com um total de 75kms, a Ecovia pretende impulsionar o crescimento económico e turístico da região, conectando a população através de 2 troços construídos com vista à valorização paisagística e ambiental. O projeto intermunicipal está avaliado em cerca de 12 milhões de euros e conta com o apoio financeiro da União Europeia (UE).

 

  • O projeto Bom Jesus: Requalificar II, tem como objetivo requalificar tanto a área natural como a edificada no Santuário do Bom Jesus do Monte. Financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) em cerca de 85%, o projeto visa estimular não só o turismo religioso como também paisagístico da cidade.

 

  • Financiada em cerca de 75% pelos fundos europeus, a Valorização do Parque Transfronteiriço Gerês-Xurés estimula, através da estruturação da oferta em torno da “Rede de Portas do Parque”, a promoção do turismo sustentável e da criação de eco-negócios, impulsionando, assim, o dinamismo socioeconómico transfronteiriço.

 

  • A requalificação do Parque de Exposições de Braga, financiada em 60% pelos fundos comunitários, atrai a realização de eventos tanto nacionais como internacionais, impulsionando o crescimento económico e cultural da região. Para os eventos no âmbito da Cidade Europeia do Desporto (Braga, 2018), a requalificação do PEB torna-se crucial tendo em vista a sua conexão com o Estádio 1º de Maio e o Parque da Ponte.

AVE

A região do Ave caracteriza-se por um forte e denso tecido industrial complementado por várias universidades que representam significativos polos de investigação e inovação. Composta por várias cidades-dormitório, a Região do Ave encontra-se bastante desenvolvida em termos de ligações ferroviárias e rodoviárias dada a sua importância estratégica para a esfera empresarial e a sua forte herança cultural, nomeadamente a cidade de Guimarães. A região do Ave apresenta uma taxa de desemprego inferior (7.7%) à média da União Europeia.

 

Exemplos de iniciativas e projetos apoiados pela Europa

 

  • Continental Mabor: Route 17: um projeto que, para além de impulsionar a inovação na produção de pneus, permitiu a criação de cerca de 200 postos de trabalho na região. Financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, o investimento na Continental Mabor estimulou também a criação de novas ligações rodoviárias, levando ao estabelecimento de novas empresas na região.

 

  • Melhoria da qualidade da água no Norte de Portugal: abrangendo os cerca de 600 000 habitantes na região, o esquema que previu a construção de diversas infraestruturas de tratamento de água, torna a água da região própria para consumo e garante a gestão dos resíduos. Tendo sido financiado em cerca de 65% pelo Fundo de Coesão Europeu, o esquema cobre 12 municípios da região Norte.

 

  • Universidade do Minho (FROnTHERA): como projeto em parceria entre a Universidade do Minho e o Laboratório Internacional Ibérico de Nanotecnologia, a investigação na área da saúde, nomeadamente do cancro, tem um impacto significativo na região. Financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, o projeto estimula a centralização do Ave em termos de inovação tecnológica, impactando indiretamente, também, o setor do turismo na região.

PORTO

A área metropolitana do Porto, uma das áreas com maior densidade populacional do país, caracteriza-se por elevados níveis de desenvolvimento socioeconómico. O forte tecido industrial define-a como ponto central da região Norte onde os mais importantes grupos económicos como a Sonae se encontram estabelecidos. Para além da indústria, o desenvolvimento do setor do turismo, principalmente nos últimos anos, levou ao crescimento exponencial da oferta de serviços. A construção de cerca de 15 ligações de autoestradas com o apoio da Política de Coesão Europeia, ligando a região com outros centros regionais, representou um fator determinante na afirmação da Área Metropolitana do Porto na Região Norte.

 

Exemplos de iniciativas e projetos apoiados pela Europa

 

  • O Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões reafirma a importância que o Porto de Leixões tem adquirido no cenário nacional em termos não só de comércio, como também de turismo. Tendo contado com o apoio do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional em cerca de 60%, o Terminal representa um forte impulsionador da economia da região, dado que recebe anualmente cerca de 100 escalas de navios de cruzeiro.

 

  • Linha do Metro do Porto: tendo registado 50 milhões de passageiros em 2008, uma década depois, a Linha do Metro que contou com financiamento do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e do Banco Europeu de Investimento, representa, hoje em dia, a forma mais rápida dos cidadãos se deslocarem. A vasta rede do Metro, complementada pelos transportes públicos suburbanos, melhorou significativamente a mobilidade intra e inter-municipal.

 

  • Ecoponto em Casa: tendo sido primeiramente implementada na Maia, iniciativa que contou com o apoio em cerca de 60% do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, revolucionou a gestão de resíduos não só no município, como também nas áreas circundantes. Para além de a bioindústria ter nascido na zona, melhor saúde e segurança urbanas são também de destacar.

ALTO TÂMEGA

A região do Alto Tâmega caracteriza-se por uma forte presença industrial, sobretudo de produção de azeite, enchidos e compotas. Apesar da baixa densidade populacional, novos esforços têm sido feitos no sentido de impulsionar e relançar a região, não só a nível nacional como também internacional, sobretudo em termos de cooperação transfronteiriça. Tais esforços compreendem iniciativas tanto no setor do turismo como no setor empresarial.

 

Exemplos de iniciativas e projetos apoiados pela Europa

 

  • Novo Rumo a Norte – tendo como objetivo facilitar o acesso à informação relativa ao financiamento providenciado pela União Europeia, a plataforma online reúne os principais agentes económicos e associações da região por forma a apoiar as empresas já existentes no território e potenciar novas iniciativas. Este projeto foi financiado em cerca de 1 900 000,00 EUR pela União Europeia.

 

 

  • A Musealização das Termas Romanas de Chaves, financiada em cerca de 85% pelos fundos europeus, tem em vista a transformação das termas num local turístico por forma a potenciar o turismo cultural da região. Através da construção da nova estrutura, o projeto reformula a praça central e procura complementar o turismo ligado à ponte romana de Trajano.

 

  • A Requalificação da Estação de Camionagem de Vila Pouca de Aguiar constitui um importante projeto na vila tendo em conta os elevados níveis de desertificação. A renovação da estação, financiada em cerca de 85% pelos fundos europeus, contribui para a melhoria das acessibilidades tanto para a vila como da vila aos principais eixos rodoviários nacionais e internacionais.

TÂMEGA E SOUSA

A região do Tâmega e Sousa, composta por 11 municípios, é a região com o menor índice de envelhecimento de Portugal Continental, o que atesta o seu elevado dinamismo socioeconómico. Em termos económicos a região denota-se pelo denso tecido industrial na produção de mobiliário. Culturalmente, a Rota do Românico integra todos os municípios que compõem o Tâmega e Sousa e constitui um ponto de atração turística fulcral na região Norte. O desenvolvimento e o impulsionamento da Rota do Românico, através de projetos comparticipados pela União Europeia, contribuiu para o facto do Tâmega e Sousa ter registado o maior crescimento anual no número de dormidas em 2015, potenciando, assim, o setor do turismo na região.

 

Exemplos de iniciativas e projetos apoiados pela Europa

 

  • A Valorização Cultural e Turística do Caminho de Santiago – Caminho de Torres, planeada em cerca de 230km de extensão, pretende, não só melhorar o apoio aos peregrinos em termos de equipamento e zonas de descanso, como também realçar os recursos culturais e naturais do Caminho. Financiado em cerca de 85% pelos fundos europeus, o projeto dá ímpeto à complementaridade já existente com os outros Caminhos de Santiago, impulsionando o turismo religioso da região.

 

  • A Reabilitação do Cineteatro de Amarante, comparticipada em 85% pelo fundo de desenvolvimento regional europeu, representa o ressurgir de um centro cultural na cidade e, para além de incitar ao envolvimento dos habitantes nas atividades artísticas da região, representa também um ponto central para a Orquestra do Norte e outros agrupamentos musicais.

 

  • A construção do Parque Verde Urbano de Souselo em Cinfães, financiada em cerca de 85% pelos fundos europeus, tem como objetivo criar infraestruturas desportivas e de lazer por forma a servir a população de um espaço onde as várias atividades possam ser conjugadas. A construção do Parque compreende também a área circundante ao mesmo, contando com uma intervenção na “curva da Igreja”.

DOURO

O Douro é considerada a região demarcada mais antiga do mundo, caracterizada pela sua produção de vinho e classificado como Património da Humanidade pela UNESCO. O Douro caracteriza-se pela ruralidade, pelo envelhecimento da população, com qualificações deficitárias e fenómenos de isolamento geográfico e social, sendo necessário incentivar estratégias locais de desenvolvimento social e económico.

 

Exemplos de iniciativas e projetos apoiados pela Europa

 

  • Explorando as valências duma região predominantemente rural e vinhateira, a Universidade de Trás-os-Montes desenvolve o projeto INTERACT, integrando múltiplos processos de produção agroflorestal e zootécnica com vista ao aumento da eficiência dos processos produtivos, utilizando tecnologias amigas do ambiente. O projeto, financiado em 85% por fundos europeus, desenvolve-se em 3 linhas de investigação: inovação em cadeias agroalimentares, produção de vinho e bioeconomia e sustentabilidade.

 

  • Aliando a inovação produtiva à atividade agrícola, a empresa Futuragri recebeu EUR 1.3 milhões, através de fundos europeus, para desenvolver um novo fertilizante obtido através da produção de cogumelos. O fertilizante é inovador por conter 25% de trufa na sua composição e por se adaptar a todos os tipos de cultura.

 

  • Através dos fundos da União Europeia foi procedeu-se à reabilitação de várias zonas, para dinamizar o desenvolvimento social. Aqui estão, a título de exemplo, alguns projetos: Regeneração da Zona Ribeirinha de Ucanha, Parque Ribeirinho de Tarouca, Primeira fase da Criação do Parque de Natureza do Alto Paiva, entre outros.
  • Quanto ao isolamento demográfico, existem vários exemplos de iniciativas tomadas para o combater com recurso aos fundos europeus: a modernização das instalações da escola Latino Coelho, em Lamego, foi comparticipada em 85%; e a requalificação da Escola Secundária São Pedro, em Vila Real, também financiada em 85%, são exemplos de investimento no capital humano em zonas desfavorecidas.

TERRAS DE TRÁS-OS-MONTES

Tendo como principal centro urbano a cidade de Bragança, as Terras de Trás-os-Montes, têm encontrado um novo foco impulsionador na sua economia, nomeadamente no setor do turismo. Apesar dos elevados níveis de desertificação, a região tem investido nos turismos de lazer e gastronómico. As indústrias mineira e de energia renovável representam também uma grande porção da economia da região, sendo capazes de atrair diversas empresas internacionais, nomeadamente no minério de lítio.

 

Exemplos de iniciativas e projetos apoiados pela Europa

 

  • O projeto PAMUS no município de Mirandela promove a melhoria das ligações interurbanas através do desenvolvimento de várias vias de conexão. O PAMUS1: Criação da Rede Ciclável e Via Pedonal, comparticipado em 85% pelos fundos europeus, prevê a requalificação das infraestruturas e vias que servem a cidade, de maneira a melhorar a circulação pedonal e impulsionar uma mobilidade urbana ecológica.

 

  • A M. Goncalves Tanoaria LDA, uma empresa familiar localizada em Miranda do Douro, representa a convergência de saberes entre Portugal e França, já que o fundador da empresa iniciou atividade em França. Aliando o conhecimento e a técnica tradicional ao investimento em pesquisa e inovação, a Tanoaria já recebeu cerca de 900 000 EUR por parte dos fundos europeus. Atualmente, mantém parcerias com tanoeiros franceses e com a Universidade de Trás-os-Montes.

 

  • A Operação Castelos a Norte, financiada em cerca de 85% pelo fundo de desenvolvimento regional europeu, tem como objetivo restaurar e promover as condições de fruição de 5 castelos, tanto pelos habitantes locais e da região, como por forâneos, adeptos de turismo de natureza ou militar.

 

MAIS INFORMAÇÕES

http://norte2020.pt/projetos-aprovados-cavado

http://norte2020.pt/projetos-aprovados-tamega-sousa

http://norte2020.pt/projetos-aprovados-douro

http://www.ccdr-n.pt/regiao-norte/indicadores-regionais

  • Comunidade Intermunicipal das Terras de Trás-os-Montes, http://cim-ttm.pt/
    * Esta informação foi produzida pelo Parlamento Europeu.

Share This